Pronunciamento Roberto Balestra (19/04/2017)

grãosSr. Presidente, Sras. e Srs. Deputados, cidadãos que nos acompanham pela TV e Rádio Câmara,

Completamos nos últimos dias um ano da histórica sessão desta Casa, em que, atendendo a uma reivindicação quase unânime do povo brasileiro, a Câmara resolveu votar pela mudança na condução política do país. Desde o ano passado, tenho feito questão de destacar que a crise pela qual passamos, já apontada como a maior da história, sofre influência de componentes não apenas econômicos, mas também de ordem política.

O ambiente político, mesmo depois de passado um ano, ainda não é dos melhores, sobretudo com as revelações recentes. Estas precisam ser averiguadas com rigor antes de chegarmos a conclusões precipitadas, vale dizer. O atual ambiente econômico é promissor, mas enfrenta uma recuperação dura e difícil. No entanto, as notícias que temos recebido nos últimos dias confirmam a nossa esperança de que conseguimos sair do olho do furacão e que a nossa trajetória, daqui em diante, será ascendente.

Uma dessas boas notícias é que o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, o IBGE, aumentou a expectativa para produção de grãos neste ano. Segundo a estimativa, devemos chegar a 230,3 milhões de toneladas de grãos produzidos em 2017, o que representa 6,1 milhões de toneladas acima do previsto inicialmente. Deve ser um recorde para o setor, que vai colaborar decisivamente com a nossa retomada econômica.

Esses números me deixam especialmente feliz, sobretudo porque o Estado que represento nesta Casa, o meu querido estado de Goiás, está se consolidando como o quarto maior produtor de grãos do país, atrás apenas do Mato Grosso, do Paraná e do Rio Grande do Sul. A produção goiana representa quase 10% do total de grãos produzidos no país.

Goiás também é o maior produtor de sorgo do Brasil, e a estimativa é que a produção goiana represente, sozinha, quase metade da produção nacional. Mesmo com uma pequena redução na área plantada, isso será possível devido à melhora na produtividade. A produção estadual do grão deve alcançar 857.645 toneladas.

São números como esses que nos fazem acreditar na grandeza do nosso país e na nossa capacidade de ser, de fato, o celeiro do mundo nos próximos anos, como é esperado de nós. Infelizmente, a má condução na economia pelos governos anteriores nos colocou em uma encruzilhada, mas escolhemos o caminho da responsabilidade e do trabalho, e a agropecuária é um dos melhores exemplos do Brasil que dá certo. É essa inspiração que desejamos ter daqui para frente.

Sr. Presidente, peço a V. Exa. a divulgação do meu pronunciamento nos meios de comunicação da Casa e no programa A Voz do Brasil.

 

Muito obrigado.

Ainda no h comentrios

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

 

Assine nossa Newsletter

Agenda de Compromissos